As finanças para advogados são certamente um dos maiores desafios para os profissionais de Direito. Mas com atenção e disciplina, é possível fechar todos os meses no azul.

Cuidar das finanças é o maior desafio de empreendedores de todas as áreas. Entretanto, quando se trata do Direito, a dificuldade é ainda maior devido à falta de renda fixa. Por isso, é essencial ter conhecimentos sobre gestão financeira na advocacia.

É comum que empreendedores cometam erros básicos nas finanças, contudo eles podem comprometer a sobrevivência da empresa. Esses erros envolvem, por exemplo, a displicência com o controle de fluxo de caixa e a má precificação de seus serviços.

No entanto, é possível controlar o orçamento de seu escritório e ter um crescimento sustentável seguindo algumas dicas práticas. E para te ajudar nessa questão, vamos tratar desse assunto no texto de hoje. Então, confira tudo abaixo!

Finanças para Advogados - JusCash
Foto: Freepik (www.freepik.com)

Finanças para advogados

Fazer a gestão do próprio negócio é, sem dúvida, uma tarefa muito difícil. Além do conhecimento técnico de sua área, é preciso ter habilidades administrativas e de gestão para que possa garantir o sucesso e a sustentabilidade do negócio.

Isso é válido para empreendedores de todas as áreas, inclusive no Direito. Nesse sentido, as finanças para advogados são essenciais para quem quer ter um escritório de advocacia bem sucedido no mercado.

De acordo com dados da OAB, em dezembro de 2021 existem 1,24 milhão de advogados no Brasil. Grande parte desses atuam como profissionais liberais ou possuem seu próprio escritório.

Nesse cenário, as finanças para advogados são essenciais para manter a saúde financeira do próprio profissional e do negócio. Mesmo que essa não seja sua área de especialização, é essencial fazer um bom planejamento financeiro e cuidar da gestão financeira da advocacia.

Fluxo de caixa

Para melhorar a gestão financeira do escritório de advocacia é necessário fazer, em primeiro lugar, a gestão do fluxo de caixa de forma correta. Ou seja, controlar todas as entradas e saídas de dinheiro de seu escritório.

Dessa forma, é possível compreender o caminho que o dinheiro percorre ao longo de toda a operação do seu negócio. Isso aumenta seu controle financeiro e te ajuda a identificar as necessidades de cortar gastos e as possibilidades de fazer investimentos.

Fazer uma boa gestão do fluxo de caixa te permite prever os custos e ganhos dos próximos meses e fazer um bom planejamento para não ficar inadimplente. Devido à imprevisibilidade quanto aos ganhos, para os advogados, essa questão é ainda mais importante.

Planejamento financeiro na advocacia

A gestão financeira para escritórios de advocacia envolve três grandes pilares:

  1. Planejamento
  2. Análises;
  3. Tomada de ações sobre ganhos e gastos.

Após a elaboração do fluxo de caixa, o advogado deve fazer o planejamento de seu orçamento empresarial. Para isso, fará uma análise com base nos registros das entradas e saídas de dinheiro para buscar reduzir suas despesas e aumentar seu lucro. 

Por meio da gestão financeira, você pode controlar suas finanças em tempo real, de acordo com a frequência dos registros. Dessa forma, é possível corrigir estratégias, fazer cortes de gastos ou até mesmo investir da forma correta.

Ter um bom planejamento financeiro é essencial para garantir a continuidade e o sucesso de sua empresa. Não é possível manter um negócio ativo sem fazer o controle correto de suas finanças.

Organizar as finanças de seu escritório é tão importante quanto ser um bom advogado. Quando sua gestão financeira é otimizada, você tem mais tempo para cuidar dos processos e evita problemas causados pela falta de dinheiro.

4 erros nas finanças para advogados

Vamos falar sobre os principais erros nas finanças para advogados para que você possa analisar se está cometendo algum deles e deixar esse mau hábito para trás. Confira:

1. Falta de controle do orçamento

Ter um bom controle do orçamento é essencial para manter a boa saúde financeira de seu escritório. Ou seja, é essencial dedicar toda a atenção à gestão de fluxo de caixa para não comprometer seu capital de giro nem se perder nos gastos.

2. Misturar as contas pessoais com as profissionais

Mesmo quem possui um escritório pequeno ou atua de forma autônoma precisa diferenciar as contas pessoais e as da empresa. Essa é uma medida fundamental para um controle financeiro mais eficaz. 

Uma dica nesse sentido é ter duas contas bancárias diferentes para separar sua renda pessoal da empresarial. Também é um erro usar o dinheiro do escritório para arcar com suas despesas pessoais.

3. Não definir um pró-labore

Um grande erro cometido pelos empreendedores é não definir seu pró-labore, ou seja, o valor que corresponderá ao seu próprio salário. Ao invés disso, fazem saques frequentes e aleatórios do caixa da empresa para cobrir suas despesas pessoais.

Não cometa esse erro. Faça os cálculos e defina o valor do seu próprio salário para ter uma renda fixa, mesmo que seja uma porcentagem do valor total, para cobrir suas necessidades. Leve essa orientação a sério mesmo em meses que você recebe valores mais altos ou menores.

Procure destinar o valor total recebido para o caixa da empresa. Somente após isso, faça as contas e distribua os lucros da forma pré-determinada em seu planejamento. Leve em consideração seus objetivos de expansão e outras questões.

4. Precificação equivocada

Outro erro comum cometido por advogados é fazer uma precificação errada dos serviços oferecidos aos seus clientes. É bem comum cobrar valores muito acima ou muito abaixo da média da concorrência.

Mas, o cálculo dos valores a serem cobrados deve ser feito com base nos custos e despesas de seu negócio para garantir uma boa margem de lucro. Porém, é essencial fazer um estudo de mercado para garantir que este será um valor justo a ser cobrado do seu cliente.

5 dicas de finanças para advogados

Agora que já falamos dos erros, chegou a hora de te dar algumas dicas valiosas de finanças para advogados. Com elas, você conseguirá manter suas contas sempre no azul e garantir o lucro de seu escritório. Confira:

1. Planeje suas finanças

Fazer um bom planejamento financeiro é essencial para que você possa estabelecer metas de curto, médio e longo prazo. Além disso, com o registro de todas as movimentações financeiras de seu escritório e com a gestão do fluxo de caixa, o advogado pode tomar decisões mais precisas e garantir o crescimento de seu negócio.

2. Não misture suas despesas pessoais com as do escritório

Como falamos em cima, é essencial diferenciar as rendas e as despesas do escritório e pessoais. Além da definição do pró-labore, é essencial diferenciar quais despesas são pessoais e quais são do escritório.

Quem atua em home office pode ter mais dificuldades para fazer isso, já que as despesas se misturam. Porém, é essencial fazer o pagamento das contas de água e luz fazendo uma divisão de 50% do valor vindo da verba pessoal e 50% do valor vindo da verba do escritório, por exemplo.

3. Tenha uma reserva de emergência

Essa dica é válida para todas as áreas de sua vida, especialmente se você atua como advogado profissional liberal. Como a renda do advogado não é fixa e depende das demandas dos clientes e da conclusão dos processos, isso é ainda mais importante.

Para montar sua reserva financeira, é essencial definir um valor mensal e guardá-lo exclusivamente para esse fim. Veja a reserva de emergência como um compromisso semelhante à conta de luz, por exemplo, e se comprometa a guardar esse valor todos os meses.

Mantendo uma reserva financeira, você poderá garantir que suas contas serão pagas e seu escritório continuará funcionando mesmo em momentos de crise. Dessa forma, você não precisará se endividar para poder honrar com seus compromissos financeiros.

4. Contrate um contador

Contar com o auxílio de um profissional especializado é essencial para colocar suas finanças em dia. Além disso, esse profissional te ajudará a conhecer melhor a real situação financeira do seu negócio por meio de relatórios analíticos feitos com regularidade.

O profissional pode analisar seu fluxo de caixa para buscar alternativas que te ajudem a organizar suas finanças de uma melhor forma. Também pode te ajudar a pagar apenas os valores necessários com impostos, evitando gastos a mais por falta de conhecimento específico.

5. Conheça opções de antecipação de honorários

A morosidade dos processos judiciais pode atrapalhar sua organização financeira. Por isso, é essencial contar com ferramentas que tragam mais previsibilidade e te ajudem a estar sempre no azul.

A antecipação de honorários pode ser uma ótima opção para você que precisa cuidar de sua organização financeira. O processo pode ser feito por meio de empresas que atuam na intermediação da compra de ativos judiciais.

A JusCash é uma dessas empresas. Por meio dela, é possível antecipar.é possível antecipar honorários contratuais, honorários sucumbenciais, RPVs, Alvarás e Condenações. Tudo isso sem limites de valores ou de áreas do Direito.

Conclusão

Advogar com excelência e ainda cuidar da gestão de um escritório não são tarefas fáceis. Contudo, com os conhecimentos certos de administração e gestão, além do auxílio de profissionais capacitados, tudo fica bem mais fácil.

Esperamos que as dicas que trouxemos neste texto sejam úteis para auxiliar nas finanças de seu escritório. Continue acompanhando nosso blog para mais conteúdos relacionados à gestão financeira do escritório de advocacia!

Leia também

Deseja antecipar seus honorários?

Entre em contato que teremos prazer em analisar sua ação e antecipar seus honorários advocatícios.

Contato
WhatsApp